quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

PROGRAMAÇÃO MÊS DE DEZEMBRO


No mês de Dezembro, temos a honra de apresentar ao publico a temática da “Loucura”. Inspirados nos contínuos presságios que todos os povos ao longo da humanidade tem tido sobre o “fim dos tempos” ocorrendo ao final do ano, em Dezembro mais especificamente, como nas viradas dos anos 1000, 2000 e ano 2001 e agora mais recentemente com a ideia de um fim anunciado pela civilização Maia em 21 de Dezembro de 2012. Sabemos que tais presságios de um Apocalipse sempre acabam abalando as estruturas de algumas pessoas, podendo levar inclusive a delírios e a loucura, por isso o CMA-UFPA convida a todos para partilhar nossas experiências sobre a “Loucura” e suas várias faces nas sociedades amazônicas.


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

PALESTRA PROF. ALDRIN FIGUEIREDO



Dia 29, fechando a programação do mês da "MORTE", o Prof. Dr. Aldrin Moura de Figueiredo palestrando no espaço CMA com o tema:
A morte na Arte
 


Às 15h00

End: Trav. Rui Barbosa com Ó de Almeida, 491 - Reduto.



terça-feira, 27 de novembro de 2012

Walcyr monteiro no CMA


Quem nunca ouviu falar da moça do taxi, do lobisomem da pedreira ou da moça sem face de canudos? Alguns sim outros não. Todos estão convidados para conhecer nessa quarta-feira, dia 28 de novembro. Uma maravilhosa palestra sobre as nossas lendas urbanas com o grande Walcir Monteiro movimenta o centro de memória da amazônia.
para todos os públicos! 

15h no Centro de Memória da Amazônia.
Rui Barbosa com Ó de Almeida, 491 - Reduto.
fone: 3252-2843





segunda-feira, 12 de novembro de 2012

MESA REDONDA: ENTRE VIVOS E MORTOS "À flor da pedra"




Local: Auditório do CMA
Data: 13.11.2012
Horário: 9h30
Inscrições: CMA
Evento: Mesa Redonda

Título: Entre vivos e mortos: “à flor da pedra”

Temas e participantes

  Museu da Morte: patrimônios, coleções e expositivos mortuários
Dr. Antonio Motta

Amazônia Pré-Colombiana: práticas funerárias
Dra. Denise P. Schaan

   Os mortos entre os vivos: notas etnográficas sobre povos indígenas
Dra. Jane F. Beltrão



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

PROGRAMAÇÃO MÊS DE NOVEMBRO



              O tema “Morte” sempre suscitou no ser humano, em diferentes sociedades e momentos históricos, sentimentos diversos... Curiosidade e medo principalmente. Para o mês de Novembro o Centro de Memória da Amazônia promove diferentes eventos sobre a morte, buscando explorar esta instigante temática, pelas variadas perspectivas das ciências humanas desmistificando o que para muitos é inconcebível e trazendo ao público uma nova possibilidade de conversa sobre o que gira em torno deste assunto.



PROGRAMAÇÃO








quinta-feira, 1 de novembro de 2012

CINE FOX CMA NOVEMBRO

O CINE FOX CMA desse mês chega com uma programação imperdível. Os filmes selecionados trazem ao público uma diversidade de informações que possibilitam amplas discussões em torno da temática proposta.
Não deixe de participar!

confira a programação:





1º FILME:



segunda-feira, 8 de outubro de 2012

PROGRAMAÇÃO NO MÊS DE OUTUBRO

O Centro de Memória da Amazônia traz neste mês de outubro a temática Religiosidade/ devoção. As Várias formas expressadas no Brasil de devoção; a beleza de ritos; a fantástica forma que se dá essa construção geradora de uma diversidade impar, é o ponto alvo das discussões. O CMA leva ao público uma programação muito especial para debater o tema e expandir os conhecimentos fazendo com que os muitos preconceitos internalizados pelo ser humano no decorrer da história sejam refletidos.  





 

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade


O CMA é um dos vencedores do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2012, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que contempla, desde 1987, projetos e ações de preservação, valorização e divulgação do patrimônio cultural brasileiro. O projeto tem como tema "Belém dos Imigrantes" e foi premiado na categoria Pesquisa e Inventário de Acervos, entre 224 ações inscritas em todo o país, na 25ª edição do Prêmio.
A premiação ocorrerá no dia 24 de outubro, no palco da Sala Villa-Lobos, do Teatro Nacional Cláudio Santoro, em Brasília. Os vencedores receberão certificado, troféu e R$ 20 mil em dinheiro.

Valorização da memória - O historiador e diretor do CMA, Antônio Otaviano Vieira Junior, explica que o Prêmio vem confirmar a valorização e o desenvolvimento de políticas de memórias na UFPA e no Estado do Pará. “Ficamos muito felizes. Principalmente por ser um trabalho de longa duração e em equipe, no qual o pessoal da segurança, da limpeza, os bolsistas e os funcionários do CMA fizeram o melhor. É o coroamento das ações agressivas de memória da UFPA, que se efetiva como uma Instituição onde a Memória é tratada com respeito”, avalia o professor.
O diretor considera, ainda, que a premiação recompensa tudo o que já foi feito no CMA voltado à imigração, desde 2009. Segundo Antônio, nos últimos quatro anos, o Centro de Memória vem criando uma série de atividades, a partir do acervo. Entre elas, amostra de cinema africano, palestra sobre vinhos portugueses, base de dados sobre marroquinos, italianos, espanhóis, livro sobre migração na Amazônia, palestras, cursos, visitas guiadas para escolas públicas.

Instrumento de cidadania - O Centro de Memória não somente desenvolve pesquisas, mas ampara e fomenta atividades culturais com o intuito de alimentar a vontade de conhecer. O CMA tem um vasto acervo, que está disponível para quem quiser estudar ou pesquisar sobre imigração na Amazônia.
Para o historiador, a memória, hoje, é um instrumento de cidadania, e o CMA adota uma política que serve como parâmetro nacional. “Os documentos arquivísticos não são apenas matéria para acadêmicos, mas dizem respeito a crianças, jovens e a um público não acadêmico. Uma política de memória que propicia a articulação entre pesquisa, ensino e extensão.”
Memória paraense - CMA foi criado no ano de 2007 e funciona no prédio que abrigava a antiga Gráfica da UFPA, localizada no bairro do Reduto, em Belém. O espaço reúne a documentação de natureza civil e criminal que integrava o arquivo inativo do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.  São documentos que tratam sobre assuntos variados da sociedade paraense, como questões religiosas e familiares, transações comerciais, conflitos fundiários, migração e imigração na Amazônia.

O Centro de Memória da Amazônia é mais que um prédio para arquivo de documentos organizados dentro dos padrões técnicos. O espaço abriga uma biblioteca de obras raras, uma sala de pesquisa climatizada, um auditório multifuncional, além de salas de exposição, de vídeo e de aulas. O CMA também oferece à sociedade paraense um centro de cultura, com “um conjunto de ações que destaca uma Amazônia também de imigrantes e que articula cinema, música, base de dados, livros, palestras e minicursos”, finaliza Otaviano Vieira Junior.
Texto: Vítor Barros – Assessoria de Comunicação da UFPA